Deficiência de caçadorense não é empecilho para que ele seja mesário voluntário » Uniarp

29.10.22

Deficiência de caçadorense não é empecilho para que ele seja mesário voluntário

Acadêmico de jornalismo da Uniarp, Guilherme Uriel Godoi de 19 anos, atuou como secretário de seção eleitoral

“A sensação foi de servir, de ajudar a democracia, neste dia tão importante e decisivo, além de defender o sistema eleitoral que é muito seguro e auxiliar as pessoas”.

Com estas palavras, o eleitor Guilherme Uriel Godoi, 19 anos, estudante de jornalismo da Uniarp e teologia, expressa o sentimento de ter sido mesário pela primeira vez nas Eleições 2022.

Pessoa com deficiência, antes do primeiro turno, ele foi pessoalmente até o Cartório Eleitoral da 6ª Zona Eleitoral do município de Caçador, em Santa Catarina, para se voluntariar como mesário.

Para Guilherme, “foi uma grande honra, um grande privilégio poder ser mesário e espero ser convocado nas próximas eleições, pois o que alguns veem como obrigação, eu vejo como honra. Muitos poderiam ter sido escolhidos no meu lugar, porém a Justiça Eleitoral deu esse voto de confiança a mim e eu espero ter contribuído para a realização das eleições”.

Cibele Mello, chefe de cartório da 6ª ZE de Caçador, informou que Guilherme desempenhou suas funções de forma exemplar, se dirigindo por diversas vezes até o Cartório para dirimir dúvidas relativas à função de mesário. Após o pleito, foi contar da alegria de ter participado. Ela acrescenta que “é muito bom podermos contar com jovens comprometidos com a democracia. Ao Guilherme e aos demais jovens que contribuíram para que as eleições transcorressem de forma tranquila, o nosso muito obrigada.”

Na foto, Guilherme aparece com os demais componentes da mesa receptora (seção 81 da UNIARP): Felipe Thomé de Lima Manfroi, presidente; Phelipe Nathan Alves, 1º mesário; Luiz Fernando Todeschini da Cruz, 2º mesário e o juiz eleitoral da 06ª ZE, André da Silva Silveira.

Acessibilidade é tema de cartilha do TRE-SC

No dia 21 de setembro, Dia da Luta Nacional das Pessoas com Deficiências, foi lançada a cartilha de acessibilidade, criada pela Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão (CPAI) do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC). A cartilha serve como guia para mesárias e mesários e àqueles que ajudam no apoiologístico das Eleições 2022. As informações contidas na cartilha dão a eles as condições e o conhecimento de como agir no dia da eleição. Um diferencial é que as figuras que estão nela contidas têm o recurso de descrição da imagem.

A cartilha é ainda mais inclusiva com a utilização de linguagem cidadã e ferramentas como: utilização de links descritivos; botão “Voltar ao início” em todas as páginas para remeter ao sumário; e tipo de fonte e tamanho adequados para auxiliar pessoas com dislexia, baixa visão ou outra dificuldade.

Página da CPAI no site

Na página da CPAI, no site do TRE-SC, estão as informações necessárias para a pessoa com deficiência (PcD) poder exercer a sua cidadania. Toda pessoa entre 18 e 70 anos de idade, com deficiência física, auditiva, visual ou intelectual/mental, pode se inscrever como eleitora ou eleitor e votar com facilidade.

Por meio do formulário de atendimento contido na página, além de tirar dúvidas, a PcD pode comunicar ao seu cartório eleitoral a deficiência de que é portadora. Assim, o cartório registrará a informação no cadastro e irá providenciar a adequação da seção eleitoral da pessoa votante ou a transferência do local de votação para uma seção com acessibilidade como, por exemplo, um local com rampas e/ou elevadores.

Interpretação em Libras nas urnas

O eleitor ou eleitora com deficiência ou mobilidade reduzida tem preferência para votar e pode ser auxiliado(a) por alguém de sua confiança na cabina de votação. Além do sistema de Braille e de áudio, a novidade para as Eleições 2022 é o sistema de interpretação em Libras disponibilizado em todas as urnas eletrônicas. A partir de agora, durante a votação, quem tiver deficiência auditiva poderá acompanhar a descrição de cada etapa do processo, no canto da telada urna.

Dentre os 5.489.658 eleitores e eleitoras de Santa Catarina, 29.410 são pessoas com deficiência, 40,44% deles com deficiência de locomoção; 24,87% com outros tipos de deficiência como Transtorno de Espectro Autista (TEA) e Síndrome de Down; 17,76% com deficiência visual; 12,83 com deficiência auditiva e 4,1% são pessoas com dificuldade para o exercício do voto, aquelas que têm a certidão de quitação por tempo indeterminado.

Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão

O TRE de Santa Catarina criou a Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão com o propósito de dar à pessoa com deficiência um tratamento digno e respeitoso no exercício do voto. Desde então, a Comissão trabalha na implementação de planos de comunicação e ações de acessibilidade promovidas pelo Tribunal.

Implementada desde 2020, a Comissão foi uma exigência do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por meio da Resolução n.401/2019. A Resolução determina, entre outros, a adoção de medidas para prevenir e eliminar quaisquer barreiras urbanísticas ou arquitetônicas, de mobiliários, de acesso aos transportes, nas comunicações e na informação.

Fonte: https://portalrbv.com.br/cacanjure/deficiencia-de-eleitor-cacadorense-nao-e-empecilho-para-que-ele-seja-mesario-voluntario/

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Escrito por:

Imprensa Uniarp

Notícias

Leia mais notícias relacionadas

Biblioteca

A UNIARP tem um acervo com mais de 45 mil títulos disponíveis.

Guia da Cidade

Você é acadêmico e chegou agora na cidade? Conheça mais sobre Caçador!

Tour 360

Conheça parte da nossa estrutura com o nosso tour virtual!

Programa de Valorização da Vida

Espaço pensado para possibilitar o acesso aos conteúdos da Psicologia.

Diretório Central dos Estudantes

Adquira sua carteirinha estudantil para garantir benefícios.

Calendário Acadêmico

Fique por dentro de todas as datas e eventos importantes.

Biblioteca

A UNIARP tem um acervo com mais de 45 mil títulos disponíveis.